Nenhum comentário

EPI’S mais comuns para segurança do trabalho

homem com equipamento de proteção individual

Para quem não sabe, a sigla EPI significa equipamento de proteção individual.

Ele é fundamental para garantir a integridade física do colaborador quando este executa uma atividade que oferece risco à sua saúde.
De acordo com pesquisa recente feita pelo Fundacentro, foram registrados mais de 4 milhões de acidentes de trabalho em 6 anos, totalizando mais de 15 mil mortes.

Se você não estava por dentro dessa estatística pode ter se assustado com essa realidade, sendo empregador ou empregado. Esses números tendem a crescer cada vez mais diante da falta de informação a respeito dos EPI nas empresas.
Além do triste dado das mortes, ainda há um agravante para as empresas: o prejuízo nas finanças. Isso mesmo. Em aproximadamente 5 anos, 250 milhões de reais são perdidos por causa de acidentes de trabalho.
Mas fique calmo, isso pode ser facilmente resolvido adotando medidas de segurança por meio de equipamento de proteção individual, além de outras medidas em conjunto, é claro.

Qual sua real importância?


Se você ainda não ficou convencido da importância do uso de equipamento de proteção individual pela nossa abordagem inicial, temos alguns outros meios de te mostrar isso. Confira abaixo como os EPI são fundamentais.
Os EPI são usados de forma individual e garantem a integridade física e saúde do colaborador que os utiliza, diminuindo a chance dele sofrer um acidente de trabalho e reduzindo possíveis gastos para a sua empresa.
Um acidente de trabalho é traumatizante para qualquer pessoa, seja empregado ou empregador. Ele pode tornar ausente a qualidade de vida do trabalhador, interferindo na sua vida pessoal.
Ao oferecer o equipamento de proteção individual de forma gratuita aos seus colaboradores, você demonstra valorização profissional por parte da empresa, deixando-os mais motivados e aumentando sua produtividade.
Mas não esqueça que para os EPI surtirem seu real efeito, é necessário um levantamento prévio dos riscos, através de profissionais especializados, para indicação das medidas de controle coletivas e individuais mais adequadas.

Tipos mais comuns de EPI e sua utilização


Agora que já concordamos sobre a importância do uso do equipamento de proteção individual, vamos entender onde ele se encaixa dentro do contexto de cada atividade.
Sabe-se que o uso de determinado EPI varia de acordo com o risco ao qual o empregado está submetido dentro do seu ambiente de trabalho, sendo necessários diferentes equipamentos para diferentes partes do corpo expostas.
Em geral, a proteção normalmente atua da seguinte forma:

• Cabeça
• Audição
• Olhos e visão
• Respiração
• Pés
• Mãos
• Outros

Mas você pode estar se perguntando: como vou saber onde minha empresa entra nessa história?! Bom, para começar, você deve realizar o PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais).

O PPRA te direcionará ao uso de EPI apropriados para seu negócio. Mas vamos te dar uma noção de como funciona com alguns exemplos do uso de EPI de acordo com a atividade exercida:

• Incêndios (de acordo com a NR-23): luvas, capacetes, botas, capuz balaclava e equipamento de proteção individual respiratória.

• Área da saúde (de acordo com a NR-32): avental, máscara, touca, sapato fechado, luva contra risco químico e biológico e óculos.

• Construção civil (de acordo com a NR-18): avental e luva de raspa, abafador de ruído, capacete, sapato fechado, cinto, calça, óculos de proteção e máscara filtradora.

• Locais fechados (de acordo com a NR-33): luva de raspa ou PVC, bota, óculos, respiradores e capacete com jugular.

OBS: a indicação adequada do tipo de EPI deve ser feita por profissionais especializados após avaliação dos agentes de risco ambiental existentes em cada local de trabalho.

Quais as obrigações do empregador quanto ao uso de EPI’S?

Primeiramente você deve entender, se for um empregador, que o uso de equipamento de proteção individual em empresas que oferecem risco ao colaborador, é obrigatório.

Como já citamos anteriormente, existem algumas medidas que o empregador pode tomar com o intuito de prevenir acidentes de trabalho e engajar seus colaboradores com o uso de EPI.

A implantação do PPRA é fundamental, pois ele será responsável por fazer um mapeamento do local de trabalho avaliando os possíveis riscos aos quais o colaborador está submetido e qual EPI será necessário nesse caso.

Definidas essas partes, vamos a outro ponto importante: distribuir os EPIs de forma gratuita e adequada na sua empresa. Verifique a existência do certificado de aprovação (CA) emitido pela Secretária do Trabalho e o prazo de validade deles. Registre a entrega em fichas individuais de controle, treine e fiscalize o seu uso.

Conclusão


Podemos concluir que o uso de equipamento de proteção individual é muito importante em uma empresa que ofereça riscos a integridade física do colaborador, não controlados de outras formas, sendo necessária a intervenção dos gestores.
Se você está na condição de empregador, leia atentamente esse texto na íntegra e anote as dicas valiosas que oferecemos para aprimorar a segurança dos funcionários na sua empresa. Pode ter certeza que você só tem a ganhar.
Se esse artigo foi útil ou se você ainda possui alguma dúvida a respeito do assunto, não deixe de comentar. Será um prazer ajudá-lo!

Você também pode gostar

Você também pode se interessar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
Fale com um consultor