Nenhum comentário

Higiene Ocupacional: Conceitos e Objetivos

Higiene Ocupacional

O que é Higiene do Trabalho?

A higiene ocupacional é a ciência responsável por antecipar, reconhecer, avaliar e controlar os agentes ou processos produtivos utilizados que colocam em risco a saúde e integridade do colaborador em seu ambiente de trabalho.

Quando falamos sobre segurança do trabalho e, claro, manutenção da saúde no ambiente empresarial, é comum que o nosso primeiro pensamento seja direcionado ao uso de EPIs ou a práticas como a ginástica laboral. No entanto, quase sempre esquecemos um princípio básico: a higiene ocupacional.

Qual é o objetivo da higiene ocupacional?

O objetivo da higiene ocupacional é garantir um ambiente de trabalho saudável e promover o bem-estar dos trabalhadores e trabalhadoras, qualidade de vida e evitar possíveis doenças ocupacionais decorrentes durante a jornada de trabalho.

As práticas da higiene ocupacional são relacionadas à redução e eliminação de agentes nocivos à saúde dos funcionários. Estes podem ser tanto gerados por agentes físicos (como a temperatura e a pressão, por exemplo), químicos (substâncias utilizadas no dia a dia do trabalho) e biológicos (vírus, bactérias, fungos e muitos outros).

Risco Físicos

São aqueles gerados por máquinas ou condições físicas do ambiente de trabalho.

Ex: Ruídos, Vibrações, Radiações Ionizantes, Radiações Não Ionizantes, Frio, Calor, Pressões Anormais, Umidade.

Risco Químicos

São eles provenientes de substâncias químicas em seu estado líquido, solido ou gasoso. Quando absorvidos pelo organismo pode gerar reações tóxicas no trabalhador.

Ex: Poeiras, Fumos, Névoas, Neblinas, Gases, Vapores,  Substâncias, compostos ou produtos químicos em geral.

Riscos Biológicos

São eles causados por microrganismos capazes de causar doenças devido a contaminação e pela natureza do trabalho.

Ex: Vírus, Bactérias, Protozoários, Fungos, Parasitas e Bacilos.

Conheça as Normas de Higiene Ocupacional da FUNDACENTRO

Apesar das Normas de Higiene Ocupacional da FUNDACENTRO não possuírem valor normativo, elas são o referencial técnico da Normas Regulamentadoras, ou seja, a maioria das Normas Regulamentadoras do Ministério da Economia foram desenvolvidas com base nas Normas de Higiene Ocupacional da Fundacentro,  elas foram criadas com foco em determinar limites de tolerância, metodologia de avaliação, critérios técnicos de equipamentos usados nas avaliações de riscos ocupacionais, e servem de orientação sobre formas de controle de agentes de riscos ambientais. Segue abaixo as principais Normas de Higiene Ocupacional da FUNDACENTRO:

NHO 01 – Avaliação da Exposição Ocupacional ao Ruído.

NHO 03 – Análise gravimétrica de aerodispersóides sólidos coletados sobre filtros de membrana.

NHO 04 – Método de Coleta e Análise de Fibras em Locais de Trabalho.

NHO 05 – Avaliação da Exposição Ocupacional aos Raios X nos Serviços de Radiologia.

NHO 06 – Avaliação da Exposição Ocupacional ao Calor,

NHO 07 – Calibração de bombas de amostragem individual pelo método da bolha de sabão.

NHO 08 – Coleta de Material Particulado Sólido Suspenso no Ar de Ambientes de Trabalho.

NHO 09 – Avaliação da exposição ocupacional a vibrações de corpo inteiro.

NHO 10 – Avaliação da exposição ocupacional a vibrações em mãos e braços.

Quais são as etapas de um programa de higiene ocupacional?

Antecipação

Antes de qualquer tipo de atitude, é fundamental que a equipe responsável pela higiene ocupacional faça um levantamento dos eventuais riscos aos quais os colaboradores estarão expostos naquele ambiente.

Assim, é feita uma espécie de mapeamento do local, observando onde e como os funcionários podem ser contaminados por algum tipo de agente. Com essa lista em mãos, passamos para a próxima etapa.

Reconhecimento

A fase de reconhecimento é aquela em que identificamos quais são os agentes, dando “nome aos bois”. Dessa forma, pode ser necessário realizar análise quantitativa do agente para mensuração de sua concentração.

Ao contrário da fase de antecipação, onde acontece apenas uma observação básica, aqui, amostras efetivas são recolhidas (e testadas), para que possamos nos dirigir, então, à etapa de avaliação.

Avaliação

A avaliação consiste em mesclar as informações obtidas na fase de reconhecimento com os pilares da higiene ocupacional. Assim, são observados os níveis de ação e concentração de cada agente.

Dessa forma, podem ser tomadas medidas a fim de reduzir os riscos oferecidos por tais agentes, aumentando a segurança de toda a equipe. O objetivo é começar a pensar em quais atitudes levarão à implementação de tais métodos preventivos.

Controle

Por fim, chegamos à fase de controle, a última de todo o processo. Aqui, é feita a adoção efetiva das medidas que começaram a tomar forma na etapa anterior.

É fundamental conversar com a equipe para que todos estejam cientes de quais são essas medidas, como elas funcionam e, claro, sua importância para a preservação da saúde de todos. A informação sobre tais fatores não podem ser deixada de lado e contribui fortemente para o sucesso das medidas de controle.

Todas as empresas do Brasil são responsáveis pelos seus empregados em todos os sentidos. Por isso, a higiene ocupacional deve ser um processo de rotina a ser considerado para o bem-estar de todos os colaboradores e também para segurança jurídica da empresa.

Além disso, a higiene ocupacional também pode gerar diversas outras vantagens, como a promoção da produtividade e motivação dos funcionários, preservação da imagem empresarial, redução dos índices de absenteísmo e riscos de paralisação da produção.

Precisa de uma consultoria para implementação da higiene ocupacional na sua empresa? Conte com a Contrei. Clique aqui e converse com um consultor. Invista na segurança e saúde de todos os colaboradores da sua empresa.

Você também pode gostar

Você também pode se interessar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
Fale com um consultor