Nenhum comentário

Poluição sonora: entenda os problemas que ela traz para a saúde

Poluição Sonora no ambiente de trabalho

A poluição sonora é um dos grandes problemas das grandes cidades. O excesso de barulho causado pelo trânsito urbano, pelas estradas movimentadas, pelo tráfego aéreo, pelos metrôs, fábricas, latidos de cães, construções, escolas, feiras, carros de som, shows, dentre tantos outros ruídos.

Uma estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostra que 10% da população do mundo está exposta constantemente a níveis de pressão sonora que podem provocar perda de audição (sendo que 30% desses casos estão associados aos ruídos das cidades).

O que é poluição sonora?

A definição de poluição sonora é quando um ruído intrusivo interrompe, distrai ou diminui o funcionamento regular de uma atividade.

Embora a poluição sonora não se acumule no meio ambiente, como outros tipos de poluição, ela pode causar vários danos ao corpo, à qualidade de vida das pessoas e à fauna e, por isso, é considerada um problema de saúde pública mundial.

A poluição sonora no ambiente de trabalho

Muitas profissões exigem que os empregados estejam expostos a altos decibéis. Você não precisa trabalhar ao lado de máquinas e equipamentos industriais para sofrer de poluição sonora, no entanto, empregadores e empregados devem estar cientes dos perigos da poluição sonora no local de trabalho e trabalhar para reduzir o ruído no ambiente.

Cefaleia, tontura, fadiga, sensação de ouvido cheio são alguns dos impactos que a poluição sonora constante pode causar e, em longo prazo, pode até levar a uma perda, parcial ou total, da audição. Além disso, há impactos diretos na produtividade, uma vez que o desempenho dos funcionários tende a cair quando se tem muito ruído.

Na norma regulamentadora que trata de Atividades e Operações Insalubres, a NR 15, há valiosas orientações e regras que precisam ser seguidas para garantir o bem-estar e a saúde dos profissionais. No Anexo nº 1, são definidos os limites de tolerância para o ruído contínuo ou intermitente. Já no Anexo nº 2, são contemplados os limites para ruídos de impacto.

Destacamos abaixo algumas referências, em que relaciona a intensidade do som ao ambiente de trabalho:

  • 50 dB: a maioria considera como um ambiente silencioso;
  • 55 dB: o máximo aceitável para ambientes que requerem silêncio;
  • 60 dB: aceitável em ambientes de trabalho durante o dia;
  • 65 dB: limite máximo aceitável para ambientes ruidosos;
  • 70 dB: não é recomendado para escritórios, pois dificulta a comunicação oral;
  • 75 dB: é necessário falar mais alto;
  • 80 dB: a conversa se torna muito difícil;
  • 85 dB: limite máximo tolerável para a jornada de trabalho de 8 horas diárias.

Como diminuir o problema da poluição sonora nas empresas

Lidar com a poluição sonora no ambiente de trabalho também faz parte de um planejamento ergonômico eficaz. Um funcionário que fica muitas horas exposto a ruídos muito altos dificilmente se sentirá bem e disposto para executar suas tarefas. Os sintomas podem até ser imperceptíveis a princípio, mas a longo prazo, eles serão evidenciados.

É importante que todos os trabalhadores utilizem os EPIs corretamente e para evitar danos causados pela poluição sonora utilizem os protetores auriculares. Seu uso é obrigatório em trabalhos com ruídos intensos e contínuos – além do limite definido pela lei. O MTE (Ministério do Trabalho e Emprego) elaborou a NR 07, que contempla medidas do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO.

No PCMSO devem estar estabelecidos as diretrizes e os tipos de exames que devem ser feitos pelos funcionários afetados por ruídos intensos todos os dias. O principal exame para monitorar e avaliar a saúde auditiva dos colaboradores é a Audiometria, que deve ser realizado em laboratório especializado por médico especialista ou por fonoaudiólogo.

A Análise Ergonômica do trabalho é uma ferramenta muito importante para que o empregador garanta saúde, segurança e conforto aos seus colaboradores.

O ideal é que seja feito um mapeamento de todos os riscos relacionados às atividades dos trabalhadores, incluindo os riscos sonoros, para que seja possível garantir maior conforto no ambiente de trabalho, consequentemente otimizando a produtividade e, por fim, o cumprimento da legislação.

Na AET vários fatores devem ser considerados, entre eles a poluição sonora. Para garantir um mapeamento completo, é realizada uma análise técnica das tarefas, observações globais das atividades, observações sistemáticas, tratamento dos dados coletados e a definição de um plano de ação.


Que tal dar o primeiro passo e realizar a Análise Ergonômica da sua empresa? Fale com um de nossos especialistas e entenda como garantir saúde, segurança e conforto aos seus colaboradores através da ergonomia!

Você também pode gostar

Você também pode se interessar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
Fale com um consultor