Nenhum comentário

Volta ao trabalho físico: sua empresa está preparada?

Volta ao trabalho físico - quarentena

Um dos grandes impactos do novo coronavírus nas empresas foi a mudança do sistema de trabalho, que passou a ser remoto. Aos poucos as atividades estão sendo retomadas, mas é fato que a pandemia ainda não acabou. Então, é preciso preparar a empresa para a volta ao trabalho físico.

A sociedade como um todo sentiu os reflexos da pandemia. Até junho de 2020, 160 países estavam convivendo com o novo coronavírus. O Brasil estava entre os 75 mais afetados. Com isso, houve mudanças significativas na rotina, que modelaram o “novo normal”. Porém, muitas adequações realizadas durante a crise vão perpetuar depois que ela estiver controlada.

Ainda existe um grande caminho pela frente para que a Covid-19 não seja mais um grande risco. Até lá, é preciso garantir a segurança dos trabalhadores. A sua empresa já está preparada? Continue a leitura e veja como assegurar um retorno seguro ao trabalho físico.

Por que é primordial pensar na saúde e segurança?

O primeiro caso de Covid-19 no Brasil foi registrado em fevereiro de 2020. Há meses os brasileiros convivem com o novo coronavírus e, o isolamento, associado ao fechamento da economia, foi uma das ações adotadas para tentar conter essa crise.

Durante meses pandemia e saúde foram prioridade, mas não é mais possível manter a economia fechada, e a volta ao trabalho já foi iniciada. Entretanto, este retorno não pode ocorrer de qualquer jeito, pois a crise ainda não foi contida e o risco existe.

Diversas mudanças aconteceram durante a quarentena e muitas empresas precisaram se adequar para continuar oferecendo seus serviços. O comportamento das pessoas também mudou com a busca por novas alternativas de consumo, e tudo isso fez se instalar o “novo normal”.

Diante desse cenário ainda inédito, as empresas têm o desafio de se planejar para traçar um plano de ação efetivo na volta ao trabalho. É fundamental estar ciente de que é preciso mudar e implementar novas medidas, colocando como prioridade o cuidado com a saúde e a segurança dos colaboradores.

Não podemos nos esquecer que a quarentena ocorreu devido ao alto índice de disseminação do novo coronavírus, que é transmitido de pessoa para pessoa e pode permanecer ativo em diferentes superfícies por dias. Sendo assim, no ambiente de trabalho, onde convivem diversas pessoas, os cuidados são indispensáveis.

Por onde começar na volta ao trabalho?

A priorização da saúde do trabalhador sempre foi importante, mas agora se tornou ainda mais essencial. É preciso oferecer sensação de segurança e conforto ao grupo de funcionários, uma vez que essas ações influenciam diretamente em sua motivação, satisfação e produtividade.

Para iniciar as adequações na empresa visando a segurança aos trabalhadores, pode-se começar observando as orientações da Organização internacional do Trabalho (OIT) para a volta ao trabalho. A nota de orientação foi chamada de “Um retorno seguro e saudável ao trabalho durante a pandemia da covid-19”, contendo uma lista de medidas recomendadas. Algumas empresas já estão adaptadas, outras ainda se adaptando.

A seguir, seguem algumas dicas para que sua empresa faça a adequação e volte com segurança.

Priorize o cuidado com os colaboradores

É verdade que durante a pandemia muitas empresas tiveram perdas financeiras significativas por causa da queda de produção e consumo. Porém, na volta ao trabalho, por mais que seja importante recuperar esse tempo perdido, é preciso priorizar o cuidado com os colaboradores.

O retorno deve acontecer considerando o nível de segurança que a empresa consegue oferecer. Em muitos casos, é preciso que ele aconteça gradativamente, e ainda devem ser analisados os riscos específicos em função das atividades desempenhadas. Mais uma vez, vemos a importância de adequar as mudanças para atender à necessidade de cada negócio.


Avalie a situação atual da empresa

Para personalizar esse retorno também é fundamental avaliar a situação da empresa. Deve ser considerado, por exemplo, quantos funcionários realmente precisam fazer a volta ao trabalho físico, quem são aqueles que pertencem a grupos de risco, qual é o nível de exposição, entre outros detalhes.

Deve-se buscar ainda informações acerca de normas e exigências de cada segmento de atuação. Lembrando que estados e municípios dispõem da sua própria legislação, e ela deve ser consultada ao fazer as mudanças e adequações conforme o que foi determinado.

Forneça treinamento e apoio emocional

Como explicamos, um dos motivos para fazer as adequações ao novo normal dentro das empresas é trazer segurança emocional para os colaboradores. Logo, essas pessoas não só precisam encontrar recursos físicos que garantam a sua proteção, mas também o apoio emocional.

Não podemos nos esquecer que a pandemia trouxe impactos para a saúde mental de muitos, e que ainda existe o temor de contrair a doença, incertezas com relação ao futuro e inseguranças. Cabe à empresa oferecer treinamento para que os colaboradores saibam como agir durante a pandemia, ao mesmo tempo em que recebem o suporte psicológico.

Quais são as principais medidas de segurança?

Mais uma vez reforçamos que cada empresa apresenta suas necessidades na volta ao trabalho físico. Portanto, as medidas de segurança devem estar adequadas ao cenário de cada uma, a fim de desenvolver um plano de ação customizado.

Ainda assim, como você viu, a Organização Internacional do Trabalho deixou algumas medidas de orientação que são válidas para diferentes setores. Veja, a seguir, as principais ações para dar início a essa retomada, sempre considerando a importância da saúde.

Controle de acesso

O livre acesso às áreas da empresa não pode acontecer. É fundamental controlar a entrada de pessoas e garantir que isso aconteça sem aglomerações. Outra medida interessante é eliminar barreiras ou minimizar ao máximo a necessidade de tocar em maçanetas ou botões.

O trajeto até o trabalho também deve ser considerado. Os colaboradores precisam receber suporte nesse sentido, em especial para aqueles que dependem de serviços coletivos, que estão em maior exposição.

Uso de EPIs

A máscara já se tornou acessório inseparável no dia a dia, mas devemos garantir que ela seja usada no ambiente de trabalho. Agora ela está entre os EPIs, sendo fundamental que todos os colaboradores tenham acesso a esse equipamento.

Lembrando que ela precisa ser substituída ao longo do dia, por isso, cada profissional precisa de mais de uma. Alguns podem precisar, ainda, de luvas, aventais e máscara facial de acrílico. Cabe à empresa fornecer os itens necessários e instruir sobre o modo correto de uso, retirada e higienização.

Distanciamento físico

O distanciamento físico é uma medida preventiva contra a Covid-19, então, na volta ao trabalho, pode ser necessário reprojetar o ambiente para manter uma distância segura entre os colaboradores. Sinalizações são fundamentais para relembrar a necessidade da mudança de comportamento, e isso também deve ser feito em treinamento.

Limpeza e higiene constantes

A higiene pessoal deve ser incentivada e devem ser oferecidos os produtos para viabilizá-la. Os colaboradores precisam ser instruídos sobre como higienizar corretamente as mãos no ambiente de trabalho, sendo necessário disponibilizar sabão e garantir que todos tenham acesso ao álcool gel. Itens como copos e toalhas devem ser de uso pessoal ou descartáveis.

O ambiente também precisa ser mantido sob limpeza rigorosa. As superfícies devem ser desinfetadas constantemente, principalmente aquelas tocadas com frequência, como corrimão, maçanetas, interruptores, botões e balcões. Deve ser dada atenção redobrada para os banheiros e o refeitório.

Investimentos em tecnologia

A tecnologia, que se mostrou uma grande aliada durante a quarentena, continuará sendo indispensável na volta ao trabalho. Ela pode ser explorada para evitar o contato físico, reduzindo ao máximo o uso de papel.

Podem ser utilizados aplicativos para comunicação, envio de lembretes e mensagens. A digitalização de informações e o salvamento de documentos em nuvem permite compartilhá-los e acessá-los em meio virtual, sem versões impressas.

Como a volta ao trabalho precisa ser adequada à realidade de cada negócio, é interessante contar com uma empresa especializada para fazer essa análise e traçar um plano de retomada efetivo. Além disso, não se esqueça que os líderes desempenham um papel importante nesse momento, sendo facilitadores da implementação das mudanças e o principal exemplo.

A Contrei desenvolveu vários serviços que solucionam às dificuldades que os setores de SESMT e RH das empresas veem enfrentando no gerenciamento do combate ao COVID-19 exigidos na PORTARIA CONJUNTA Nº 20, DE 18 DE JUNHO DE 2020 e RECOMENDAÇÃO Nº 2 – PGT/GT COVID-19, ainda sim foi desenvolvido serviços para solucionarem impactos negativos que este cenário já tem gerado nas pessoas, estes serviços tem como objetivo preservar à saúde física e mental das pessoas para mitigação dos danos causados pela pandemia.

Clique aqui e fale com um de nossos consultores. Saiba como a Contrei pode fazer a diferença na sua empresa neste processo de retomada.

Você também pode gostar

Você também pode se interessar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu
Fale com um consultor